Violência nas escolas: Declaração da FENPROF

O Secretário-Geral da FENPROF, Mário Nogueira, apresenta aos jornalistas a posição da Federação Nacional dos Professores relativamente aos casos de violência registados nos últimos dias nas escolas portuguesas.

As agressões a professores são notícia que surge um pouco de todo o país, com o Ministério da Educação a manter um insustentável silêncio. Curiosamente o mesmo ministério que, ainda há dias, mesmo antes de se conhecerem todos os contornos da ocorrência, se apressou a reagir perante uma situação excecional da alegada agressão de um professor e um aluno. 

É inaceitável este silêncio, que soa a indiferença, quando os professores são agredidos por alunos ou familiares. Face aos atos de violência a que os professores estão a ser sujeitos, a FENPROF exige do governo e do Ministério da Educação a tomada de medidas que ponham cobro a esta situação, designadamente: 

- o reforço da segurança no espaço escolar, com a colocação dos funcionários auxiliares necessários ao seu bom funcionamento; 

- a disponibilização de apoio jurídico aos docentes vítimas de violência; 

- o agravamento da moldura penal associada à violência no espaço escolar, ou fora dele, por razões relacionadas com a vida das escolas. 

A FENPROF reitera a proposta de criação de um Observatório para a Violência nas Escolas, destinado a sinalizar os motivos que estão na origem deste problema e a propor medidas que possam contribuir para a sua erradicação.

Está em... Home Última Hora Violência nas escolas: Declaração da FENPROF