Na próxima quinta-feira, dia 6, a FENPROF entregará ao Governo milhares de postais de apoio à luta dos professores recolhidos junto da população. Assim, os Sindicatos da FENPROF que representam professores do Continente juntar-se-ão em Lisboa, frente à Basílica da Estrela, às 11 horas. Daí, dirigir-se-ão para a Presidência do Conselho de Ministros (Rua Gomes Teixeira) onde o Governo está reunido e voltará a debater esta questão. 

Cada vez mais isolados, Governo e PS liderados por António Costa já só mesmo no continente português insistem em apagar mais de 6,5 anos de tempo de serviço prestado pelos professores e educadores e preparam-se para perpetrar esse ato ilegal e discriminatório na próxima quinta-feira. 

Recorda-se que os governos regionais da Madeira e dos Açores, em ambos os casos com o acordo do PS, já decidiram recuperar todo o tempo de serviço prestado pelos docentes nos períodos de congelamento. No continente, Governo de Lisboa e PS continuam a opor-se à recuperação integral daquele tempo e o próprio Primeiro-Ministro, após a Assembleia da República ter reiterado a necessidade de serem negociados, apenas, o prazo e o modo da recuperação, não o tempo, afirmou que não voltaria a negociar essa matéria com os professores. 

Com tal afirmação, o Primeiro-Ministro desrespeitou a Assembleia da República, a acrescentar ao desrespeito que, há muito, vem demonstrando pelos professores. Ora, no continente, os anos têm os mesmos dias que nas regiões autónomas, os docentes trabalham as mesmas horas e a progressão na carreira até apresenta constrangimentos que naquelas regiões não existem. 

Entretanto, fontes anónimas do governo decidiram fazer chantagem sobre os professores, ameaçando com um “ou isto ou nada”. Não surpreende esta chantagem porque não é nova. O Ministro da Educação, em junho passado, chegou a levá-la para a mesa das negociações. 

Face a esta situação e a mais uma discriminação que o Governo tenta impor aos docentes que exercem funções no continente, chegou o momento de estes se fazerem ouvir diretamente pelo Primeiro-Ministro e pelo Governo. Nesse sentido, a partir de hoje, a FENPROF divulga junto dos professores o endereço eletrónico oficial do Gabinete do Primeiro-Ministro, apelando a que enviem, email com a seguinte mensagem:

CLIQUE AQUI:

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

DEPOIS COPIE A MENSAGEM E COLE NO CORPO DE TEXTO DO EMAIL:

“Senhor Primeiro-Ministro
Dr. António Costa

Sou Professor(a) e mereço respeito. Exerço a minha atividade há ___ anos. Considero inadmissível que o Governo Português recuse recuperar integralmente o tempo de serviço que cumpri (9A 4M 2D), discriminando-me em relação à generalidade dos trabalhadores da Função Pública e também aos meus colegas da Madeira e dos Açores. Não aceito a discriminação, como não aceito que recuse voltar à negociação, a que está obrigado por força de recente decisão largamente maioritária da Assembleia da República. Os Professores merecem respeito e ser tratados com justiça, devendo o tempo cumprido ser integralmente recuperado na carreira ou, por opção de cada um, para a aposentação.”

A SEGUIR, DÊ ORDEM DE ENVIAR

Vamos fazer desta mais uma foma de mostrarmos o nosso descontentamento

Está em... Home Última Hora Professores vão enviar email ao primeiro-ministro e FENPROF entrega milhares de postais no Conselho de Ministros