A prova de avaliação é uma perturbação inútil na vida das escolas e dos alunos. Considero a avaliação dos professores essencial  mas não  vejo que esta "prova" possa contribuir para selecionar os melhores e para a qualidade da educação! E poderá privar a educação de excelentes professores! Tenho conhecido, nos terrenos educativos, professores contratados muito bons,  avaliados regularmente, e que poderão ser excluídos em virtude de um momento menos feliz numa avaliação que é  pontual e ignora o trabalho de anos.

Um dos maiores fatores de qualidade na educação é a estabilidade. As mudanças devem ser graduais e visar a correção de erros e deficiências. Os indicadores internacionais mais recentes, apontam para uma melhoria clara da qualidade e equidade da educação em Portugal.

Que estudos, que conhecimento sobre a avaliação atualmente praticada, permitiram identificar erros que possam sustentar a adoção de uma prova deste tipo?

Em vez de se introduzir um novo fator de perturbação (mais uma inovação incompreensível no contexto europeu), é preciso conhecer melhor os processos existentes, corrigi-los e investir na formação inicial e contínua dos professores. A formação contínua pode ser a chave para uma Educação para Todos, de qualidade, e para o desenvolvimento profissional dos professores.